Como evitar alergias no bebê

Tempo de leitura: 7 minutos

A primeira infância é um dos períodos que demandam muitos cuidados com o bebê.

Os recém-nascidos ainda são muito delicados para lidar com o mundo exterior, afinal, eles acabaram de passar nove meses totalmente protegidos e alimentados pela mãe.

Muitas mães não sabem dos potenciais riscos alergênicos de alguns alimentos, e como sempre, a falta de uma informação simples pode ser o suficiente para criar uma situação desconfortável e desfavorável para seu bebê.

Dúvidas são comuns nesses momentos, mas você não precisa se desesperar, separamos algumas dicas informações que te ajudarão a passar longe da experiência de oferecer um alimento errado e desencadear alergias em seu bebê.

Hipersensibilidade alimentar x alergia x intolerância

Estas são 3 coisas totalmente diferentes e com diagnósticos diferentes, acompanhe:

Alergia

A alergia é um fenômeno imunitário mediado por uma imunoglobulina que se chama IGE, simplificando:

Quando o corpo em contato com alguma substância a qual é alérgico, a glote, uma estrutura anatômica localizada na laringe se “incha” dificultando muito a passagem do ar. Sem cuidados médicos o edema de glote (este inchaço que acabamos de descrever) pode causar problemas sérios.

Como os organismos são todos diferentes uns dos outros, nada pode ser generalizado, algumas pessoas, por incrível que pareça, possuem alergia ao limão, que é um alimento super saudável para a maioria.

Para garantir uma introdução alimentar segura e nutritiva, é importante que a escolha e a combinação dos alimentos seja feita de forma correta.

Para facilitar sua vida, clique aqui e conheça o Manual das Papinhas, com 100 receitas super nutritivas e dicas incríveis.

Intolerância alimentar

A intolerância alimentar é algo que não tem relação nenhuma com sistema imunológico, mas sim com o sistema enzimático do nosso organismo.

Algumas pessoas não possuem ou param de produzir enzimas capazes de quebrar e transformar açúcares, proteínas ou determinado nutriente. Esta situação também provoca sintomas alérgicos.

Hipersensibilidade alimentar

Você deve conhecer alguém que, mesmo alguns dias depois de ter ingerido determinado alimento, apresenta algum desconforto ou dor.

Geralmente este intervalo de tempo é grande, então as pessoas acabam descartando a possibilidade dos incômodos terem sido causados por algum alimento consumido dias atrás, mas acredite, é isso mesmo o que acontece!

Um alimento ingerido em um dia, pode desencadear sintomas alérgicos ou de hipersensibilidade alimentar 2, 3 até 4 dias depois.

A maioria das crianças que receberam trigo antes de dois anos por exemplo, tem em sua vida adulta hipersensibilidade ao glúten.

Riscos de alergia

Os bebês ainda não contam com o organismo 100% formado, eles precisam dos nutrientes do leite materno para manter a base do organismo funcionando.

Quando o bebê é recém-nascido, o leite da mãe faz o papel da nutrição completa, e somente com 6 meses você terá que se preocupar com a introdução alimentar .

Alguns alimentos que parecem inofensivos, podem desencadear alergias e causar muito desconforto em seu bebê, acompanhe abaixo a lista de alimentos que você não deve oferecer para seu bebê.

Alimentos alergênicos e contra indicados

Você já parou para pensar na quantidade de alimentos que existem? E na variedade de organismos e sistemas imunológicos e endócrinos?

Muitos alimentos que são normais e rotineiros para alguns bebês podem ser maléficos para outas.

É interessante ficar atenta aos que sempre estão em nossa mesa, como por exemplo:

Mel

O mel tem possui uma bactéria, a Clostridium botulinum, presente no solo e em alimentos contaminados e mal conservados.

Crianças com idade inferior a 2 anos não devem consumir o alimento, já que não estão com o sistema imunológico completamente formado.

Sua flora bacteriana ainda não dá conta de processar esta bactéria, e existe o risco do desenvolvimento de uma doença chamada botulismo intestinal.

Se você não tem tempo para ficar pesquisando e não quer correr o risco de comprometer a saúde do seu bebê, clique aqui e acesse o Manual das Papinhas, onde você vai aprender tudo o que é necessário para garantir uma perfeita introdução alimentar.

Café

O café apresenta concentrações de taninos, substâncias que inibem a absorção de outros nutrientes ingeridos na alimentação, principalmente o ferro.

Chocolate, mate, chá-verde, chá-preto, também contem certas doses de cafeína e podem desencadear excitação, prejudicar o sono e causar nervosismo em crianças.

Industrializados em Geral

Os produtos industrializados estão cada vez mais substituindo os alimentos naturais e orgânicos. São os chamados “alimentos” práticos, pois já vêm prontos ou semi-prontos para o consumo.

Você já deve ter percebido que a maioria dos alimentos não orgânicos possuem uma data de validade muito longa, não é mesmo?

Só existe um motivo pelo qual os “alimentos” aguentam tanto tempo sem estragar, todos eles estão saturados de aditivos químicos, como corantes, conservantes, aromatizantes e estabilizantes, que podem causar problemas para a saúde do bebê, principalmente alergias.

Frutos do Mar

Frutos do mar causam complicações até mesmo para adultos, então de forma alguma devem ser oferecidos para bebês.

Os frutos do mar, possuem muitas vezes tipos diferentes de proteínas e nutrientes que podem disparar reações alérgicas fortes. Evite.

Macarrões Instantâneos

Esse tipo de alimento pode ser prejudicial até para crianças mais velhas e adultos. Na verdade, as sopas de saquinho e os macarrões instantâneos do tipo lámen, não deveriam ser classificados nem como alimentos.

Eles costumam conter muitos conservantes, adoçantes e uma série de outras químicas indesejáveis para a fase em que a criança ainda é bem vulnerável aos efeitos tóxicos destes ingredientes, sem contar o altíssimo teor de sódio, que pode causar danos graves aos rins.

Ovos

A clara é considerada potencialmente alergênica, é nela que estão presentes os principais causadores da alergia ao ovo (ovoalbumina, ovomucoide e conalbumina), caso for oferecer ovo ao seu bebê, use somente a clara.

Importante: Aos nove meses de idade, seu bebê, provavelmente terá que se vacinar contra a febre amarela, pela primeira vez. Esta vacina, por ser preparada a partir de ovos de galinha embrionados, pode causar danos seríssimos em crianças que são alérgicas ao ovo. Consulte antes seu pediatra.

Para garantir uma introdução alimentar sem riscos, é importante que você se informe o máximo possível.

Para facilitar este processo, no Manual das Papinhas nós colocamos todas as informações necessárias para garantir uma introdução alimentar super segura e nutritiva.

As Oleaginosas

São elas as nozes, castanhas, amêndoas, avelãs, amendoins e pistaches. Estes alimentos fazem parte do grupo das oleaginosas. Tradicionalmente são alimentos com maior risco de provocar alergias.

Para se ter uma ideia, a alergia ao amendoim nos Estados Unidos triplicou nos últimos 11 anos em crianças, causando problemas séríssimos.

O abacate também é uma fruta oleaginosa, ele faz parte deste grupo, porém está liberadíssimo para o consumo dos bebês. Uma excelente opção, na introdução das frutas.

Por que a alergia ocorre e como evitar?

Muitas vezes, alergias e problemas relacionados a algum tipo de alimento, são fruto de uma alimentação carente e deficiente na infância.

Como evitar alergias em bebês?

Antes de oferecer qualquer alimento para seu bebê, é fundamental consultar seu pediatra e se possível uma nutricionista.

Você deve ficar atenta as reações que o corpinho dele pode apresentar, as manchas, bolinhas, irritações, tudo isso pode ser considerado um sintoma alérgico e motivo suficiente para uma consulta.

Todas as reações alimentares ou distúrbios alimentares começam em casa, com hábitos ruins ou falta de informação.

Pode parecer que não, mas os primeiros alimentos causam um grande impacto na vida do seu bebê, por isso, se informe o máximo possível e escolha sempre os melhores alimentos para o seu bebê.

Aproveite para conhecer o Manual das Papinhas, onde você vai aprender 100 receitas de papinhas super saudáveis e equilibradas.

O_Manual_das_Papinhas_3ª_edicao

Acesse o Manual das Papinhas e garanta a saúde do seu bebê.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *