BLW: introdução alimentar guiada pelo bebê

Tempo de leitura: 4 minutos

O momento de introduzir alimentos sólidos na alimentação do bebê pode ser algo divertido, tanto para a mãe como para os pequenos.

Um dos métodos que algumas pessoas tentam utilizar é o BLW, sigla para baby-lead wearning, uma técnica onde a comida é dada aos bebês sem o uso de papinhas, purês ou colheres.

No BLW, o bebê leva a comida à boca, sozinho, como fazem as crianças mais velhas.

Quando começar o BLW?

O BLW pode começar a ser adotado a partir dos seis meses, quando o bebê começa a ser apresentado aos alimentos sólidos, e deixa de ser alimentado exclusivamente com o leite materno.

O melhor momento para que o BLW seja introduzido é durante as refeições em família, pois desta forma o bebê já se sente integrado ao momento da refeição.

Quais são os melhores alimentos para o BLW?

Aos seis meses, os bebês ainda não têm muitas habilidades desenvolvidas para segurar alimentos muito pequenos, por isso priorize aqueles que têm um formato mais fácil para as mãos do bebê.

Alguns exemplos de alimentos que podem ser utilizados no BLW são:

  • Brócolis ou cenoura cozidos
  • Batata ou mandioquinha cozidas
  • Banana
  • Pera
  • Mamão e outras frutas cortadas
  • Pedaços de carne ou frango
  • Ovo cozido
  • Fatias de pão ou macarrão do tipo penne ou fusili.

Evite alimentos muito pequenos ou frutas como a uva, que podem provocar engasgos.

Quais os benefícios do BLW?

O método BLW tem como principal objetivo dar liberdade ao bebê, para que explore os alimentos com suas próprias mãos, aprendendo a lidar com texturas e sabores de diferentes pratos desde cedo.

Dizem que os bebês que são apresentados a alimentos em pedaços mais cedo costumam ser mais abertos a experimentar frutas, verduras e outras opções com mais facilidade, mas isso não é uma regra, a aceitação de novos alimentos possui uma série de variáveis que estão além do método BLW ou Papinha.

Independente de ser BLW ou Papinha, o exercício da mastigação sempre é estimulado quando oferecemos as receitas preparadas da forma correta.

Por isso, é importante saber todos os detalhes do processo, assim você garante uma introdução alimentar segura e nutritiva.

Papinha não é sinônimo de purê, ou sopa.

A papinha quando feita da forma correta, tem a consistência ideal para cada fase, e um dos maiores benefícios é que na mesma refeição o bebê ingere alimentos construtores, reguladores e energéticos.

Dizem que o BLW ajuda a reduzir o tempo de preparação dos alimentos já que, para ofertá-los ao bebê, não é preciso a utilização de liquidificadores ou processadores, que transformariam frutas, legumes e verduras em papinha para ser dada ao bebê.

Mas na vida real não é bem assim, é importante saber que o método BLW faz uma sujeira enorme, e o bebê demora um tempão para comer apenas um pedacinho de fruta ou legume.

No Manual das Papinhas, nós não recomendamos liquidificadores ou processadores, nas 100 receitas de papinhas que ensinamos, que estão em nosso livro, recomendamos sempre amassar os alimentos com o garfo, e em casos de alimentos muito específicos, usar peneira, se houver potencial de engasgo.

E para facilitar ainda mais a questão do tempo, nós do Manual das Papinhas, desenvolvemos um “modo de fazer” que leva apenas 40 minutos a cada dois dias, ou seja, é super tranquilo.

Algumas pessoas dizem que o BLW ajuda a diminuir o intervalo das mamadas, mas o grande o problema nem é a mamada em si, o problema é o desmame, porque o vínculo com o peito está muito além da necessidade nutricional.

Pensando neste grande desafio, nós do Manual das Papinhas, estamos oferecendo gratuitamente o e-book Amamentar, que tem todo o processo de amamentação, com 3 capítulos dedicados ao desmame.

Quem adquire o Manual das Papinhas, recebe o e-book Amamentar GRATUITAMENTE!

Se você vai começar a introdução alimentar do seu bebê, é importante estar informada sobre todos os detalhes que envolvem o preparo das papinhas.

Informações indispensáveis para o preparo de papinhas

  • A escolha de uma panela que não libere metais pesados
  • A utilização de potes livres de contaminantes
  • A forma correta de armazenar as papinhas
  • O congelamento e descongelamento correto, para preservar os nutrientes
  • Os temperos corretos
  • A higienização e remoção dos agrotóxicos

Se você não quer correr riscos com seu bebê, aconselhamos que conheça o Manual das Papinhas, onde, além de ter acesso a 100 receitas práticas, você vai aprender todos os detalhes para garantir uma introdução alimentar super segura e nutritiva.

O_Manual_das_Papinhas_3ª_edicao

Acesse o Manual das Papinhas e garanta a saúde do seu bebê.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *